MALDIVAS

UM DESTINO DE SONHO

Com praias de areia fina e branca, água quente de um azul cristalino, palmeiras, ondas perfeitas, coral e peixe de todas as cores, as Maldivas são um dos últimos édenes, uma oferta da natureza para quem vive intensamente o mar e a praia.


Localizado na linha do equador em pleno Oceano Índico, a sudoeste da Índia e do Sri Lanka, este arquipélago forma uma grande “nação aquática” composta por cerca de 1190 ilhas agrupadas em 26 atóis, das quais apenas 283 são habitadas.


Todas elas estão rodeadas por lagoas de águas cristalinas e pouca profundidade e fazendo das Maldivas um paraíso tropical único no mundo, não sendo por acaso que Marco Pólo as descreveu como "A Flor das Índias"


Clima

O Clima das Maldivas é tropical, quente (29º-32º) e húmido ao longo de todo o ano, sendo caracterizado por duas monções. De maio a outubro a monção de sudoeste, traz um clima mais instável com alguma chuva e vento, sendo o melhor período de surf nos Atóis de Malé. De novembro a abril o clima é caracterizado pela monção de nordeste, um período mais seco e soleado mas com menos ondulação.

 

Monção

• dezembro a abril - monção de NE – bom tempo, ideal para praia
• abril - período de transição
• maio a novembro - monção de SO – bom para surf
• novembro - período de transição


Época

Existem 2 épocas surf nas Maldivas. De março a outubro funciona o Atol de Malé (Malé norte e Malé Sul), onde se encontram a maioria dos resorts com programas de surf e os picos mais consistentes e conhecidos e de fevereiro a abril e setembro a outubro os Atóis do Sul, a região mais remota e exclusiva com programas apenas em barco.

 

Surf

Com power QB, água quente e uma perfeição sem igual, as Maldivas tornaram-se numa referência para todos aqueles que procuram exotismo e surf de qualidade com níveis mais elevados de conforto e segurança.

Nas Maldivas encontramos ondas de vários tipos e para vários níveis, com tamanhos médios entre 1 metro e 2,5 metros, podendo haver dias maiores.

 

Material Recomendado

Pelo clima quente e húmido a melhor opção de vestuário serão roupas leves e de algodão.

Para o surf são recomendadas botinhas, para evitar cortes nos corais, lycra de manga comprida e chapéu ou capacete. Não esquecer wax de água quente, chop extra, cordinhas, protetor solar e kit de reparação.

Embora a escolha de pranchas seja pessoal, poderíamos aconselhar para as Maldivas um quiver de 2 ou 3 pranchas: uma para os dias pequenos, uma para os dias médios e uma para os dias maiores ou com mais power.

 

Onde Ficar?

Resorts, Barcos ou “programas combinados”

Nas Maldivas poderá optar por ficar num resort, onde uma grande variedade de serviços e atividades estão disponíveis, sendo uma escolha acertada para casais, famílias com crianças ou para todos aqueles que pretendem uma semana de surf e atividades de mar com a garantia de todo o conforto, num barco, com a vantagem do acesso direto aos melhores picos com total liberdade de horários permitindo aproveitar ao máximo todo o potencial do surf, podendo ainda optar por um “programa combinado”, ficando uns dias num resort e outros tantos a bordo.

As Maldivas são um país de religião islâmica pelo que há algumas condicionantes ao nível de consumo de álcool e vestuário. Em Malé e nas restantes ilhas locais (não resorts) não é permitido o consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica. Fora dos resorts e barcos turísticos aconselha-se o uso de vestuário discreto e a observação das restrições derivadas da religião islâmica. Os homens deverão ter sempre uma camisa/t-shirt vestida e as senhoras roupa que cubra os ombros e coxas. A permanência na praia de biquíni ou fato de banho é hoje em dia possível em algumas ilhas locais, mas a sua utilização é restrita a determinadas praias. Deverá sempre informar-se sobre qual o tipo de vestuário utilizado consoante o local e alojamento escolhido.

+ INFO

SURF MALDIVAS

Existem 3 grandes regiões de surf nas Maldivas, o Atol de Malé, dividido em Atol de Malé Norte e Atol de Malé Sul, os Atóis Centrais, ambos com época de março a outubro e os Atóis do Sul que funcionam com as melhores condições de fevereiro a abril e agosto a outubro.

ATÓIS MALÉ

O atol de Malé é a região mais consistente e com fácil acesso desde o aeroporto internacional. Está dividido em duas grandes áreas, atol de Malé Norte e atol de Malé Sul, tendo a capital como ponto de referência central a cerca de 40 minutos dos primeiros picos de Malé Norte ou Malé Sul.

 

No atol de Malé Norte encontram-se os picos mais surfados e conhecidos como Chickens (esquerda), Cokes (direita), Honkys (esquerda) Lohis (esquerda), Ninjas (direita), Pasta Point (esquerda), Sultans (direita), entra outras. Esquerdas e direitas perfeitas com vários níveis de dificuldade, a grande maioria apenas acessível por barco, ou nalguns casos através de uma curta remada a partir dos resorts Hudhuranfushi (Lohis), Club Med Kani (Ninjas) ou Cinnamon Dohnveli (Pasta Point).

 

No atol de Malé Sul, uma área um pouco mais protegida da ondulação mas sem crowd, encontramos ondas de muito boa qualidade como Gurus (esquerda), Quarter (direita), Riptides (direita), entre outras, acessíveis de barco ou através dos poucos resorts desta zona como o Kandooma e o Anantara, que são verdadeiros paraísos.


DESCOBRIR

ATÓIS CENTRAIS

Os Atóis centrais são um paraíso a descobrir e a grande alternativa ao Atol de Malé Norte, que, sendo a zona de mais fácil acesso e mais conhecida é também aquela com mais crowd.


Estão localizados a cerca de 75 milhas (10/11 horas de barco) a sul do Atol de Malé Norte e albergam surf virgem e sem crowd com direitas, esquerdas ou picos múltiplos de qualidade idêntica ou superior às encontradas no Atol de Malé Norte.

 

Na região central encontramos surf nos Atóis de Meemu, Faafu, Dhaalu, Thaa e Lammu, o Atol mais ao sul e com o maior número de Spots.

 

Entre os spots do Atol Central destacam-se: Veyvah, (direita), Muli (direita), Malik's (esquerda), Mikado's (direita), Finnimas (esquerda), Refugee's (esquerda e direita) e Ying Yang (direita).

 

Existem duas formas de se aceder a estes Atóis, de barco fazendo um programa completo com partida do Atol de Malé e surfando algumas das ondas mais conhecidas, passando pelo Atol de Malé Sul e ai surfando spots como Gurus (esquerda), último local antes da travessia final de 6 horas em mar aberto para Meemu, nos atóis centrais. A outra hipótese consiste em embarcar, após chegada a Malé, num voo interno para Kadhdhoo (KDO), e aí iniciar o programa exclusivamente nos Atóis centrais.


DESCOBRIR

ATÓIS DO SUL

Localizados a cerca de 300 milhas a sul de Malé, os atóis do sul são última fronteira de surf nas Maldivas.

 

É um território remoto, completamente virgem e praticamente sem crowd, com ondas surfáveis em quase todas as ilhas do exterior. É nesta região que encontramos o maior número de spots do país, que orientados a sul, este e oeste, permitem surf de qualidade adaptado a vários níveis de surf.

 

Sem qualquer tipo de alojamento turístico é acessível através de barcos bem equipados, que fazem dias de travessia desde Malé para recolher os passageiros no aeroporto local, após voo interno com duração de 55 minutos.

 

Destacam-se entre alguns dos spots mais conhecidos no atol de Huvadhoo: Viligili (direita) Beacons (direita), Castaways (direita), Blue Bowls (direita), Five Islands (direita), Two Ways (esquerda), Love Charms (esquerda), Tiger Stripes (esquerda), entre outros.

 

Destaque para os spots no atol de Addu: Shangri-La (direita), Madihera (esquerda), Approach Lights (direita), entre outros. 


DESCOBRIR

O que procuras?

Programa
Todos
Surfing Solo
Surf Boats
Surf Resorts
Guest Houses
Surf & Yoga
Quando
Todo o Ano
JAN A FEV
MAR A ABR
MAI A JUN
JUL A AGO
SET A OUT
NOV A DEZ
Nível de Surf
Todos
Iniciado
Intermédio
Intermédio/Avançado
Avançado

As nossas ofertas MALDIVAS